Arritmia

img-arritimia

Arritmia

O que são as arritmias?

A arritmia significa uma alteração do ritmo normal do coração, produzindo frequências cardíacas rápidas, lentas ou irregulares. É denominada também como disritmia cardíaca.

Quais os tipos de arritmias?

Podemos classificar as arritmias de acordo com a freqüência do coração:

  • a) Taquicardias: A freqüência cardíaca é maior que 100 batimentos por minuto
  • b) Bradicardias: A freqüência cardíaca é menor que 60 batimentos por minuto

Dependendo do local de origem as arritmias podem ser classificadas em:

  • a) Arritmias Supraventriculares: Aquelas relacionadas à parte superior do coração (átrios)
  • b) Arritmias Ventriculares: Aquelas arritmias relacionadas aos ventrículos (câmaras inferiores do coração)
As arritmias causam sintomas?

Nem sempre, algumas podem ser silenciosas e o médico pode detectá-las durante o exame físico ao palpar o pulso ou durante a ausculta do coração.

 

O sintoma mais comum relatado pelos pacientes são as palpitações, descrita como a sensação de que o coração está batendo mais rápido que o normal, mais forte ou de forma descompassada (irregular). Podem ocorrer tontura, palidez, fraqueza, falta de ar, dor no peito e desmaio.

As arritmias são sempre perigosas?

Depende da arritmia, há arritmias benignas como as extrassístoles, que podem ser silenciosas e muitas vezes nem precisam de tratamento.

 

Outras são muito graves, como a taquicardia ventricular, que pode colocar a vida do paciente em risco.

 

Os sintomas que indicam gravidade são confusão mental, pressão baixa, dor no peito e desmaios. Caso ocorra algum desses sintomas, é necessário procurar atendimento médico de urgência.

Como é feita a investigação das arritmias?

O cardiologista irá, após a obter a história clínica e o exame físico, solicitar alguns exames complementares para auxiliar no diagnóstico.

 

O eletrocardiograma, teste ergométrico e ecocardiograma são os primeiros a serem solicitados, mas outros exames mais específicos podem ser requisitados, tais como o Holter de 24 horas, Ressonância do Coração, Cateterismo Cardíaco ou Estudo Eletrofisiológico.

Como é feita a investigação das arritmias?

Medidas iniciais simples e úteis são: diminuir a ingestão de álcool e cafeína, evitar o uso de estimulantes (descongestionantes nasais e alguns suplementos nutricionais) e parar de fumar.

 

Tratamento Medicamentoso: drogas que reduzem a freqüência do coração como os betabloqueadores e os bloqueadores dos canais de cálcio podem ser indicados. Em outros casos medicamentos com o objetivo de tentar eliminar a arritmia podem ser prescritos, como a amiodarona e a propafenona. Algumas arritmias, como a fibrilação atrial e flutter atrial, conferem ao paciente um aumento do risco de formação de trombos (coágulos) nos átrios do coração; para reduzir este risco pode haver a indicação do uso de anticoagulantes, medicamentos usados para “afinar” o sangue.

 

Cardioversão elétrica: consiste em um choque elétrico dado no tórax para restaurar o ritmo normal do coração, quando as medicações falham ou quando o paciente apresenta alguns tipos de arritmias e sintomas graves. É feita sob leve sedação (paciente dormindo).

 

Ablação por cateter: trata-se de uma cauterização por energia de radiofreqüência do tecido cardíaco responsável pela arritmia. Realizado através de cateteres introduzidos no coração.

maxresdefault

Assine Nossa Newsletter

Perguntas Frequentes