Infarto

img-infarto (1)

Infarto

O que é o infarto agudo do miocárdio?

O infarto agudo do miocárdio (IAM), conhecido popularmente como infarto do coração, enfarte ou ataque cardíaco, é uma doença causada na maioria das vezes por uma obstruçao nas artérias que levam nutrientes e oxigênio para o miocárdio (músculo do coração).

 

Esta região do coração que agudamente deixa de receber o fluxo sanguíneo evolui com sofrimento e morte das suas células, caracterizando o infarto agudo do miocárdio.

Quais são as causas do IAM?

Conforme mostrado anteriormente, no IAM o que ocorre é a obstrução da artéria coronária que irriga o miocárdio. Esta obstrução é causada principalmente pela formação de uma placa de gordura na parede da artéria.

E o que predispõe a formação desta placa?

Diversas pesquisas nos mostraram que não é um fator isolado que causa o infarto na maioria das vezes, e sim a conjunção de alguns fatores que são denominados Fatores de Risco Cardiovascular. Quanto mais fatores a pessoa tiver, maior o risco de apresentar um IAM.

 

Obesidade, colesterol ou triglicérides elevados, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes mellitus são os fatores que agridem as coronárias, ou seja, aumentam o risco de IAM. Os fatores que protegem as coronárias e assim reduzem o risco de IAM são: atividade física regular, colesterol HDL (“colesterol bom”) elevado, consumo de álcool (não acentuado), dieta saudável e outros ainda em estudo.

É possível saber se tenho risco de ter um infarto agudo do miocárdio?

Sim, hoje em dia há algumas ferramentas que utilizamos para calcular o risco da pessoa vir a ter um infarto. Quanto mais fatores agressores e menos fatores protetores a pessoa possuir, maior o risco de infarto.

 

O importante é que se este risco for moderado ou elevado, há algumas medidas que possam ser tomadas individualmente para reduzir este risco.

Posso ter placas de gordura e infarto mesmo com o colesterol normal?

Sim, muitos pensam que apenas os que têm colesterol elevado podem ter um infarto, mas como vimos acima o colesterol elevado é apenas um dos fatores de risco envolvidos na formação da placa de gordura.

 

O tabagismo, a pressão alta e o diabetes são outros fatores que frequentemente causam a formação das placas de gordura e podem levar ao infarto se não tratados adequadamente.

Meu pai teve um infarto, isso significa que eu vou ter também?

Não, consideramos que seja relevante e que aumente o seu risco de ter um infarto se seu pai ou familiar de primeiro grau apresentou IAM com menos de 55 anos e sua mãe ou parente de primeiro grau com menos de 65 anos.

 

Nestes casos este dado serve como um sinal de alerta, ou seja, é muito importante que você tenha um estilo de vida saudável, realize atividade física regular e controle seus outros fatores de risco para que seu risco de infarto não se eleve.

Quais são os sintomas do infarto?

A dor no peito é o sintoma mais comum. A dor ou desconforto ocorrem geralmente no centro do peito, com características do tipo pressão ou aperto, de moderada a forte intensidade.

 

Geralmente, a dor pode durar por vários minutos ou parar e voltar novamente. A dor pode ou não irradiar para o braço esquerdo, pescoço ou para as costas. Sintomas como náuseas, vômitos, tontura, sudorese ou palidez também são freqüentes.

A dor do infarto agudo do miocárdio é sempre assim?

Infelizmente não, e isto traz alguns problemas. Em alguns casos, a dor do infarto pode parecer com um tipo de indigestão, queimação no estômago ou azia. Muitos pacientes permanecem em casa tomando remédios para o estômago e não vão ao hospital.

 

Pacientes com diabetes e/ou idosos podem ter infarto sem dor no peito, apresentando geralmente apenas náuseas, sudorese profusa (relata que suou tanto que molhou toda a camisa) e falta de ar.

O que se deve fazer quando surgirem os primeiros sintomas?

Quanto mais cedo chegar ao hospital, maior a chance de vida. Portanto, recomendamos que quando surgir um dos sintomas acima descritos o paciente deve procurar o hospital mais próximo o mais rápido possível e avisar o seu médico.

Como é o tratamento do infarto agudo do miocárdio? É eficaz?

O tratamento evoluiu muito nas últimas décadas e é extremamente eficaz. Atualmente a mortalidade de quem chega ao hospital com IAM é inferior a 10%, o problema é que muitos demoram para ir ao hospital, podendo retardar o tratamento ou infelizmente apresentar uma morte súbita em casa ou ao caminho do hospital.

 

O tratamento inicial é realizado ainda no pronto socorro com oxigênio e medicamentos para controle da dor e para tentar desobstruir a artéria acometida. Depois geralmente é indicado a angiografia (também chamado de cateterismo) para definir se há necessidade de outro tratamento com colocação de Stent ou cirurgia.

maxresdefault

Assine Nossa Newsletter

Perguntas Frequentes